Desistiu a Europa de lutar?
Novembro 15, 2008, 9:29 pm
Filed under: Europa

Por Rabbi Aryeh Spero

300-movie03_fcAs secularizadas e politicamente correctas elites europeias insistem na primazia das culturas e de religiões indígenas quando falam de outras longínquas regiões, contudo, demonstram uma insistente arrogância quando se trata das culturas indígenas das suas próprias terras. Por outras palavras, outros países estão empenhados em preservar o seu próprio modo de vida, enquanto o Ocidente é suposto gelatinizar-se e até mesmo negar a sua histórica forma de vida. A questão de fundo é esta: “Os europeus não têm qualquer respeito pela sua própria cultura.” A sua adoração pela abertura de espírito, não importa a que custo, está a provocar o seu desaparecimento.

Talvez, pela primeira vez na história, estamos a testemunhar a morte de uma civilização não devido a forças exteriores mais fortes militarmente, mas porque “ao invés de lutarem contra a ameaça, os europeus simplesmente desistiram, e não querem lutar.” O pacifismo na Europa é tão profundo que está para além de qualquer relutância em assumir uma acção militar, estendendo-se mesmo à negação da discussão verbal, seja com as leis ou opiniões assertivas, ou até mesmo na defesa da cultura ocidental nas conversas sociais de rotina.

Como é sabido, após a II Guerra Mundial, a Europa começou a denegrir o conceito de nacionalismo, e a extrema-esquerda impôs politicamente o internacionalismo. A lavagem cerebral dos cidadãos contra a inclinação natural dos seres humanos para serem orgulhosos e fiéis ao seu próprio país em detrimento dos outros, resultou no efeito boomerang, ou seja, chegou-se ao ponto em que os europeus já não podem sequer defender a sua própria cultura e história.



A justiça francesa quer destruir o movimento Identitário
Setembro 27, 2008, 12:44 pm
Filed under: Em foco, Europa

O título deste artigo serve para expressar a vergonhosa decisão do colectivo de juizes do Tribunal de Apelação de Aix-en-Province, o qual condenou o ex-dirigente das Jeunesses Identitaires, Philippe Vardon, a uma absurda multa, assim como a 4 meses de pena suspensa e ainda à perda dos seus direitos cívicos durante 2 anos. Tamanha sentença resulta da queixa movida pelas organizações pró-imigracionistas MRAP e SOS-Racisme, após as JI terem colocado em prática uma campanha de difusão de folhetos com os seguintes dizeres: Ni Voilée, Ni violée (Nem com véu, nem violadas), palavras consideradas “islamófobas” pelos organismos colaboracionistas supra referidos. Acresce igualmente a isto a exorbitante multa de 30 000 euros aplicada às Jeunesses Identitaires, decisão judicial que obviamente visa acabar com a estrutura juvenil identitária.

Se como vimos dizendo a solidariedade é uma arma, e se é nosso dever sermos solidários com as vitimas da repressão, não existem dúvidas de que os militantes identitários franceses encontram-se na primeira linha de choque com o sistema de justiça, uma “justiça” absolutamente aberrante, iníqua e abertamente em guerra contra todos aqueles que ousam agir em defesa da identidade etnocultural europeia.

É dever de todos e de cada um de nós demonstrar a nossa solidariedade para com os identitários franceses, dando a conhecer dessa forma a nossa repulsa face a esta ignóbil decisão judical. Deixo aqui o endereço da Embaixada Francesa, de forma a que quem assim decidir possa expressar o seu desagrado junto do máximo organismo do Estado Francês em solo nacional.

Por outra parte, e de maior importância ainda, quero apelar a todos os que possam contribuir, que não deixem de enviar um donativo para as JI e, por extensão, para Philipe Vardon. Podem fazê-lo através da página das JI, ou em alternativa enviarem um vale postal directamente para a morada de Philippe Vardon: VARDON – 4 rue du Lycée 06 000 Nice, France.

Certos de que este tremendo golpe não derrotará a Causa dos identitários europeus, estamos, isso sim, cientes de que aquilo que não nos mata torna-nos mais fortes, ficando patente que os identitários são cada vez mais uma força notoriamente incómoda para o sistema destruídor dos povos.

Um abraço identitário Philippe!!!



Muitos povos, inúmeras línguas, uma Civilização: Europa
Setembro 8, 2008, 10:22 pm
Filed under: Europa

Europe es ein multilingue nazione, een realidad von plus de settecento million av abitanti. La langue serves zu kommunizieren, e aunque não exista une unique language comum europeo, en el XXI siècle tutti devono entender las other lenguas di forma natürlich. O intercambios de trabalhadores, students, kommerzielle et di cultura entre européens helps a faire famíliari los sonidos gli altri langues evropský.

La construction europea as a nazione exige la somma de tutti energie, de all volontées, superando vieux scontri. Europa needs un processus de unificazione real, radikale. Los männer et popoli o mundo comprendere that only com um Evropa fort podrán sein free, luttant contro el imperialismo kapitalistische et americké. Le nazionalismo europene ist el only capaz de fare frente a USA, et lo müssen comprendre tots os apoiantes di caducos nationalisms.

Il future é Europa.

*Texto retirado do Blog Ágora Revolucionaria



Liberdade de expressão apenas para as opiniões permitidas!
Agosto 24, 2008, 10:01 pm
Filed under: Em foco, Europa, Resistência & Reconquista

Apenas tomei conhecimento agora, mas no passado mês de Julho o Tribunal Europeu dos Direitos Humanos negou o recurso apresentado pelo dissidente Guillaume Faye, autor de vários livros onde denunciou a colonização da Europa por alógenos, e nos quais apela à resistência organizada face à invasão e seus colaboracionistas.

Recorde-se que Guillaume Faye havia sido condenado pelo Estado Francês a uma pesada multa pela publicação da obra «La colonisation de l’Europe”, discours vrai sur l’immigration et l’islam» (para descarregar este livro basta clicar aqui).

Não sendo de admirar a decisão deste organismo, não duvido que Faye, ainda que arruinado financeiramente, não irá sucumbir perante mais este golpe da ditadura do pensamento único e que muito em breve irá voltar a contribuir para a resistência identitária europeia com mais alguns pujantes e revolucionários escritos.



Sem armas, sem ódio e sem violência
Agosto 23, 2008, 1:05 pm
Filed under: Europa

Num momento em que a criminalidade violenta e alógena prolifera neste meu querido rectângulo, decidi recordar um homem que se notabilizou por via de um acto legalmente punível. Contudo, como ilustra bem o título deste postal, Spaggiari era motivado por algo bem mais nobre que a calanzisse manhosa dos nossos actuais meliantes. Claro que já ouço o vociferar de anátemas dos “law-abiding citizens” da chamada extrema-direita, mas como outrora se dizia; não me importa!

Albert Spaggiari é praticamente desconhecido em Portugal, contudo este patriota entrou para a História por ser o cabecilha de um dos assaltos mais espectaculares e originais de sempre.Spaggiari teve desde cedo uma vida atribulada. Voluntário na Legião Estrangeira, pára-quedista na guerra da Indochina, combatente na Argélia, membro da OAS (Organização do exército Secreto, uma organização clandestina patriótica e anti-descolonizadora) e cuja pertença lhe valeu alguns anos na prisão.

Após a saída das masmorras gaullistas, Spaggiari abriu um estúdio fotográfico em Nice. Contudo, o seu carácter indómito e aventureiro depressa o levou a abandonar a vida cómoda e burguesa.

Em 1976, Albert Spaggiari começou a arquitectar um engenhoso plano para levar a cabo o assalto a uma dependência do banco Societè Generale, situada em Nice. Continuar a ler



O amigo instigador americano
Agosto 16, 2008, 7:00 pm
Filed under: Em foco, Europa



O ruído da revolta contra o silêncio da cumplicidade
Julho 11, 2008, 9:11 pm
Filed under: Em foco, Europa, Resistência & Reconquista

Pela segunda vez os xenófilos da França tentaram organizar um círculo do silêncio, um evento que visa sensibilizar a população para a legalização dos imigrantes clandestinos.

Face a este desprezível acto de colaboracionismo para com a invasão e colonização da Europa, as Juventudes Identitárias de Lyon protagonizaram um novo blitz de protesto, à semelhança do primeiro realizado em Nice. Conforme se pode ver no vídeo os identitários irrompem subitamente pela praça onde se encontravam os miseráveis colaboracionistas e causam tamanho ruído que provocam o espanto geral entre todos quantos por ali se encontravam ou passavam. 

Uma vez mais, os identitários demonstraram que por cada acção realizada pelos inimigos da Europa uma acção de resposta terá lugar, com a garantia de que o Círculo do ruído estará sempre presente e cada vez mais estrepitoso para afirmar peremptoriamente que Europa permanecerá europeia, custe o que custar..