Fim
Dezembro 21, 2008, 9:39 pm
Filed under: Em foco

presenceii

«Louco é aquele que insiste em fazer a mesma coisa e aguarda resultados diferentes.»

A verdade insofismável contida na frase acima presente contribuiu para a tomada de uma decisão; acabar com este blog. A escassez de tempo aliada a uma certa saturação levam-me a decretar o óbito deste blog, um blog que durante mais de 2 anos serviu para expressar não somente opiniões pessoais, mas em idêntica forma para modestamente dar a conhecer o pensamento de Guillaume Faye, autor, diga-se, que é o inspirador do nome deste espaço. Simultaneamente este blog também foi uma trincheira identitária, isto é, através das suas páginas foi possível ir difundido amiúde as ideias do ideal identitário, transformando-se, de acordo com alguns leitores, numa espécie de bomba de oxigénio intelectual face à mediocridade reinante na chamada área nacional, área essa, refira-se, que o autor deste blogue gradualmente se foi afastando e que encara a mesma como uma autêntica pocilga onde a imbecilidade é a norma, em que a maledicência reina e a intriga impera.

Com o fecho deste blog não dou por terminado o combate, de forma alguma, isso seria uma vitória para os imigracionistas, os colaboracionistas da invasão da Europa, bem como para aqueles que, à guisa de exemplo, ainda recentemente num encontro de blogs que roçou ao ridículo (estiveram presentes apenas 4 bloggers), passaram boa parte do tempo a tecer anátemas contra mim, num exercício que prova a quão miserável se consegue descer. Além da ausência de outras virtudes a frontalidade sempre foi um conceito estranho ao Duarte.

Não posso deixar também de observar o nascimento de uma plêiade de grupos e grupúsculos, quais cogumelos literalmente envenenados, aspirando inclusive alguns a ser partido, mas que na realidade não passam de esbirros de um salazarismo (ou seja lá o que isso for) reciclado, onde nem faltam, atente-se, apelos a todos os portugueses de todas as raças e etnias! Bom, pelo menos não receiam o absurdo.

Resta dizer aos leitores que acompanharam este blog e o tornaram num dos blogs mais visitados, que a luta continua aqui, na internet, mas também e principalmente por outras vias, visto que, se é um facto que a internet se afigura como um instrumento excepcional para a difusão das nossas ideias, não deixa de ser verdade que a mesma acaba por criar uma realidade virtual absolutamente alheia à realidade do Zé, da Maria, do António, entre tantas outras pessoas de carne e osso que enfrentam diariamente uma multitude de problemas e que jamais encontrarão a solução para os mesmos aqui.

Não sendo um adeus mas um até já, encontraremo-nos aqui e por aí, e aproveito o ensejo para exortar a quem me lê para se tornarem activos, mais activos, envolvam-se e comprometam-se porque o tempo urge. Centrem-se no essencial e não no acessório, estabeleçam uma hierarquia de prioridades e dediquem-se ao bom combate.

Um abraço fraterno e saudações identitárias!