Sobre cartazes, um vereador xenófilo e seus desvarios
Outubro 8, 2008, 5:54 pm
Filed under: Em foco

Recentemente um partido português, o PNR, colocou um cartaz numa movimentada rotunda da cidade de Lisboa. Inicialmente denunciado pelos pasquins politiquement engagés como tratando-se de uma cópia de um cartaz de um partido oriundo da Suíça, com o nítido intuito de descredibilizar a originalidade do aparelho de marketing do referido partido português. Além de inúmeros partidos europeus já terem cartazes semelhantes, estranhamente, ou talvez não, estes mesmos pasquins nada comentaram quando o partido socialista decidiu há uns anos maquilhar a imagem, trocando o punho cerrado pela rosa empregue pelos seus congéneres socialistas europeus. 

Outros, por seu turno, julgando-se oniricamente detentores em exclusividade do nacionalismo, depressa vieram à liça condenar o tema central do dito cartaz, lançando invectivas ao PNR por este insistir na questão da imigração, o que para estas pessoas “não é de todo o nosso principal problema”, porque, dizem eles, “mesmo que os imigrantes abandonassem Portugal continuaríamos a ter problemas económicos e sociais”, olvidando por completo que se porventura a nossa população for “engolida” pelo processo massivo de mestiçagem em curso, os problemas económicos e sociais interessariam tanto como interessa neste momento um processo de desratização no Nepal.

No que concerne à retirada do cartaz por ordem do vereador do Bloco de Esquerda, José Sá Fernandes, se a atitude execrável do dito fulano não é em absoluto de espantar, não deixa de ser totalmente vergonhoso e aviltante o silêncio ovino da classe política e da sua obediente trupe jornalística. Talvez isso se deva ao facto desta maralha preferir uma imagem distinta à do cartaz em causa, uma imagem possivelmente mais aproximada à que abaixo apresento. Enfim, típico de xenófilos e demais gente que não presta.

Face a isto uma só resposta:

Pela liberdade de opinião e de expressão
Contra o extremismo de todas as matizes
Pelo respeito e pelo direito à diferença
Contra toso os racismo, mesmo o anti-branco
Por uma comunidade unida em torno da mesma cultura
Contra o individualismo da sociedade moderna
Por um mundo que reconhece a diversidade da humanidade
Contra a Globalização