Leitura para a juventude politizada
Setembro 27, 2008, 8:38 pm
Filed under: Em foco

Já está disponível ao público o número 2 da revista “Identitário”. Desprovida da publicidade que sustenta a imprensa escrita, esta publicação é inteiramente resultante do esforço económico dos associados da Causa Identitária, o que torna ainda mais meritório se atentarmos na qualidade gráfica e material da revista.

Fiel à posição desde o ínicio assumida em ser uma publicação contracorrente, e por conseguinte, de cultura alternativa, “Identitário” revela-se como uma bomba de oxigénio face à intoxicação patente nos acobardados meios de comunicação social. Mais, esta revista releva-se por ser igualmente uma pedra no charco da chamada «área nacional», seja pelas ideias iconoclastas expressas na mesma, seja pela vontade de furar o bloqueio imposto pelo aparelho mediático, caninamente subserviente ao regime, como comprova a entrevista ao conhecido grupo musical Galandum Galundaina.

À semelhança do primeiro número da revista, também o nº 2 conta com a minha participação, desta feita com um artigo em que, na tentativa de derrubar mitos, contesto a influência do árabe na língua portuguesa. Aguardo críticas…

Contudo, o assunto central da publicação centra-se na sempre actual (e jamais deverá ser olvidada) questão do kosovo, a qual adquiriu nova perspectiva com o recente conflito que opôs a Rússia à Geórgia.

Aconselho vivamente a aquisição da revista “identitário”, uma revista pensada para a juventude politizada, que teima em não deixar-se contaminar pela acefalia reinante entre uma grande fatia da camada jovem da nossa sociedade.

A revista encontra-se à venda por simbólicos 3€, podendo os interessados adquiri-la enviando para o efeito um mail para a associação Causa Identitária. É desejo dos identitários colocar esta publicação em alguns quiosques, portanto, se existirem voluntários dispostos a ajudar na difusão dos ideiais identitários junto do nosso povo, não hesitem em transmiti-lo.

Boa leitura.



A justiça francesa quer destruir o movimento Identitário
Setembro 27, 2008, 12:44 pm
Filed under: Em foco, Europa

O título deste artigo serve para expressar a vergonhosa decisão do colectivo de juizes do Tribunal de Apelação de Aix-en-Province, o qual condenou o ex-dirigente das Jeunesses Identitaires, Philippe Vardon, a uma absurda multa, assim como a 4 meses de pena suspensa e ainda à perda dos seus direitos cívicos durante 2 anos. Tamanha sentença resulta da queixa movida pelas organizações pró-imigracionistas MRAP e SOS-Racisme, após as JI terem colocado em prática uma campanha de difusão de folhetos com os seguintes dizeres: Ni Voilée, Ni violée (Nem com véu, nem violadas), palavras consideradas “islamófobas” pelos organismos colaboracionistas supra referidos. Acresce igualmente a isto a exorbitante multa de 30 000 euros aplicada às Jeunesses Identitaires, decisão judicial que obviamente visa acabar com a estrutura juvenil identitária.

Se como vimos dizendo a solidariedade é uma arma, e se é nosso dever sermos solidários com as vitimas da repressão, não existem dúvidas de que os militantes identitários franceses encontram-se na primeira linha de choque com o sistema de justiça, uma “justiça” absolutamente aberrante, iníqua e abertamente em guerra contra todos aqueles que ousam agir em defesa da identidade etnocultural europeia.

É dever de todos e de cada um de nós demonstrar a nossa solidariedade para com os identitários franceses, dando a conhecer dessa forma a nossa repulsa face a esta ignóbil decisão judical. Deixo aqui o endereço da Embaixada Francesa, de forma a que quem assim decidir possa expressar o seu desagrado junto do máximo organismo do Estado Francês em solo nacional.

Por outra parte, e de maior importância ainda, quero apelar a todos os que possam contribuir, que não deixem de enviar um donativo para as JI e, por extensão, para Philipe Vardon. Podem fazê-lo através da página das JI, ou em alternativa enviarem um vale postal directamente para a morada de Philippe Vardon: VARDON – 4 rue du Lycée 06 000 Nice, France.

Certos de que este tremendo golpe não derrotará a Causa dos identitários europeus, estamos, isso sim, cientes de que aquilo que não nos mata torna-nos mais fortes, ficando patente que os identitários são cada vez mais uma força notoriamente incómoda para o sistema destruídor dos povos.

Um abraço identitário Philippe!!!



A luta, essência da nossa cultura
Setembro 21, 2008, 11:40 am
Filed under: Em foco
Reconhecer que o pensamento europeu está profundamente impregnada da ideia de luta. E que este mecanismo de oposição, que é definido por uma escolha, uma opção, uma decisão conjunta – boa ou má opção – constitui a essência da nossa cultura.
É esta cultura que o filósofo-delinquente honra. Ressuscitando-a.

Derramar o sangue no corpo de uma Europa inanimada, pálida, exangue, persuadida da sua incapacidade para lutar, convicta de que a “vitória” é sinónimo de “monstruoso”, “ruim”, “criminoso”.

Voltemos, então, a elogiar a vontade de vencer, a coragem para conquistar. Seja qual for o resultado. A vida, a morte. A consciência, o inconsciente. O conforto ou o risco.

(…) O Fight Club também está presente, a desfloração mental do indivíduo. (…) O Fight Club, por via do derramamento de sangue, puxa a cortina do teatro da vida. Apertum Theatrum mundi. Revelar as aparências. Revelar o ser.

Raphaël et Olivier Saint-Vincent in Manifeste du philosophe-voyou, Editions de L’Harmattan



Muitos povos, inúmeras línguas, uma Civilização: Europa
Setembro 8, 2008, 10:22 pm
Filed under: Europa

Europe es ein multilingue nazione, een realidad von plus de settecento million av abitanti. La langue serves zu kommunizieren, e aunque não exista une unique language comum europeo, en el XXI siècle tutti devono entender las other lenguas di forma natürlich. O intercambios de trabalhadores, students, kommerzielle et di cultura entre européens helps a faire famíliari los sonidos gli altri langues evropský.

La construction europea as a nazione exige la somma de tutti energie, de all volontées, superando vieux scontri. Europa needs un processus de unificazione real, radikale. Los männer et popoli o mundo comprendere that only com um Evropa fort podrán sein free, luttant contro el imperialismo kapitalistische et americké. Le nazionalismo europene ist el only capaz de fare frente a USA, et lo müssen comprendre tots os apoiantes di caducos nationalisms.

Il future é Europa.

*Texto retirado do Blog Ágora Revolucionaria



A amizade é mais forte que o fogo!
Setembro 2, 2008, 9:53 pm
Filed under: Em foco

Dedicado ao Miguel, que enfrenta o maior desafio da vida e da sua vida.