Liberdade de expressão apenas para as opiniões permitidas!
Agosto 24, 2008, 10:01 pm
Filed under: Em foco, Europa, Resistência & Reconquista

Apenas tomei conhecimento agora, mas no passado mês de Julho o Tribunal Europeu dos Direitos Humanos negou o recurso apresentado pelo dissidente Guillaume Faye, autor de vários livros onde denunciou a colonização da Europa por alógenos, e nos quais apela à resistência organizada face à invasão e seus colaboracionistas.

Recorde-se que Guillaume Faye havia sido condenado pelo Estado Francês a uma pesada multa pela publicação da obra «La colonisation de l’Europe”, discours vrai sur l’immigration et l’islam» (para descarregar este livro basta clicar aqui).

Não sendo de admirar a decisão deste organismo, não duvido que Faye, ainda que arruinado financeiramente, não irá sucumbir perante mais este golpe da ditadura do pensamento único e que muito em breve irá voltar a contribuir para a resistência identitária europeia com mais alguns pujantes e revolucionários escritos.


8 comentários so far
Deixe um comentário

Vou linkar.
Abraço.

Comentar por PR

Aqui está:

No violation of Article 10

Soulas and Others v. France (no. 15948/03)

The applicants, Gilles Soulas and Guillaume Faye, are French nationals who were born in 1955 and 1949 respectively and live in Paris. The third applicant is a company, Société européenne de diffusion et d’édition, which has its registered office in Paris.

The case concerned criminal proceedings brought against the applicants, in their respective capacities as author (the first applicant), accessory (the second applicant) and civilly liable (the third applicant), following the publication of a book entitled “The colonisation of Europe”, with the subtitle “Truthful remarks about immigration and Islam”.

In the book, the author sought “to emphasise, in particular, what he regarded as the incompatibility between European civilisation and Islamic civilisation in a specific geographical area”. The first two applicants were convicted for inciting hatred and violence against Muslim communities from northern and central Africa. They were each ordered to pay a fine of EUR 7,500. The applicants were also ordered to pay symbolic amounts in damages to the Ligue Internationale contre le Racisme et l’antisémitisme (The International League against Racism and Antisemitism) and the Mouvement contre le Racisme et pour l’Amitié entre les Peuples (Movement against Racism and for Friendship between Peoples). They relied, in particular, on Article 10 (freedom of expression).

The Court noted, in particular, that, when convicting the applicants, the domestic courts had underlined that the terms used in the book were intended to give rise in readers to a feeling of rejection and antagonism, exacerbated by the use of military language, with regard to the communities in question, which were designated as the main enemy, and to lead the book’s readers to share the solution recommended by the author, namely a war of ethnic re-conquest. Holding that the grounds put forward in support of the applicants’ conviction had been sufficient and relevant, the Court considered that the interference in the latter’s right to freedom of expression had been “necessary in a democratic society”. It therefore concluded unanimously that there had been no violation of Article 10. Finally, the Court considered that the disputed passages in the book were not sufficiently serious to justify the application of Article 17 (prohibition of abuse of rights). (The judgment is available only in French.)

http://cmiskp.echr.coe.int/tkp197/view.asp?action=html&documentId=837812&portal=hbkm&source=externalbydocnumber&table=F69A27FD8FB86142BF01C1166DEA398649

Comentar por Pippo

Mais do que pela notícia – pois como o Arqueofuturista referiu não é de admirar – agradeço o ter-me chamado a atenção para o obra em questão. Ainda não a li convenientemente mas do que li percebo o incómodo que causou: é relativamente despojada de grandes discursos deixando com que os acontecimentos falem por si e endereçando os lugares-comuns reinantes de forma directa e eficaz.

Estive relativamente ausente nos últimos meses, mas não deixei de acompanhar o Arqueofuturista que continua a ser uma referência. Espero em breve poder adicionar algo mais de concreto em termos de prosa!

Comentar por oestreminis

Caro PR, grato pelo link e devo aproveitar este momento para expressar a minha cada vez maior assiduidade na leitura do S&S, o qual apresenta-se cada vez mais mordaz e contundente na crítica a esta decrépita república portuguesa.

Comentar por arqueofuturista

Caro Pippo, muito agradeço o link e o trecho aqui apresentado, o qual é amplamente significativo do incontornável papel de Faye no verdadeiro combate identitário europeu, revelando-se igualmente uma chapada sem mãos nas fuças dos seus detractores de esquerda e de extrema-direita.

Comentar por arqueofuturista

Caro Oestriminis, bons olhos o leiam, pois há muito que sentia falta da sua erudita participação neste espaço blogosférico, o qual, reitero, mantêm-se aberto à sua preciosa colaboração.

Relativamente à obra de Faye, aconselho vivamente a sua atenta leitura, já que a mesmo é o autêntico livro da relevação no sentido mais estricto da palavra.

Comentar por arqueofuturista

Pippo, o artigo que enviaste foi publicado no Novopress. Agradeço a ajuda.

Comentar por arqueofuturista

Esta condena a o Guillaume Faye nos debe de hacer reflexionar sobre a dictadura de pensamento que vivimos nos os europeos

Comentar por Danko




Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s



%d bloggers like this: