Temas para debate: Cristianismo
Novembro 13, 2007, 7:44 pm
Filed under: Em foco, Europa

Recentemente veio a público a notícia sobre um padre de uma igreja católica do Norte de Itália decidiu, por «caridade», abri-la ao culto muçulmano, disponibilizando todas as sextas-feiras o edifício para a oração, às quais acorrem em média 200 muçulmanos e aquando das festividades mais de 1000.

De seu nome Aldo Daneli, este padre afirmou não ter medo das hierarquias eclesiásticas, sendo que tomaria a mesma acção se o proibissem. Imbuído de um espírito universalista, assevera que «É inútil falar tanto de diálogo quando lhes damos com a porta no nariz. Para mim são todos filhos de Deus».

Infelizmente, este não é um caso isolado e são cada vez mais numerosos os padres que se rebelam contra as autoridades eclesiásticas, já por si sobejamente marcadas pelas orientações emanadas desde o Concílio Vaticano II e que se revelaram particularmente fracturantes no seio da Cristandade, para não dizer mesmo suicidárias desta religião duas vezes milenar.

Mergulhado está o Cristianismo nas raízes paulistas, as diversas correntes cristãs afiguram-se cada vez menos como uma válida e sólida alternativa espiritual para as massas europeias perdidas nas teias do consumista compulsivo e da ausência niilista dos valores. As seitas proliferam, e o expansionismo islâmico entra sorrateiramente na Europa mascarado de imigração. Aquilo que os filhos de Maomé não conseguiram por via da espada afigura-se cada vez mais fácil perante uma conjunção de factores para os quais contribui, por manifesta demissão e puerilidade mental pseudo-humanitária, a religião cristã e em particular o catolicismo, o qual, ao invés das demais religiões, mesmo das suas congéneres de matriz semita, apela recorrentemente ao diálogo interreligioso, numa genuflectida demonstração de algo que está derrotado por antecipação.
Continuar a ler