Os homens novos
Agosto 26, 2007, 10:39 am
Filed under: Em foco

Na verdade, os homens novos deverão corresponder aos critérios apresentados por Evola:” anti-burgueses porque desprezarão a vida cómoda; anti-burgueses porque terão uma concepção superior da vida, heróica e aristocrática; anti-burgueses porque não seguirão os que prometem vantagens materiais, mas aqueles que exigem tudo de si mesmos; anti-burgueses porque não terão a preocupação da segurança, mas porque desejarão uma união essencial entre a vida e o risco, fazendo sua a inexorabilidade da ideia nua e da acção precisa, porque não terão senão a intolerância para com todas as for­mas de retórica e de falso idealismo, por todas as gran­des palavras que se escrevem com uma maiúscula, por tudo aquilo que é apenas gesto, frases feitas, cenografia. Tais contestatários preferirão sempre o alpinismo ao esqui, o sol à lua, a ascensão à descida, a pro­va ao exame universitário.

Georges Gondinet, La nouvelle contestation. 1977


11 comentários so far
Deixe um comentário

Epá! porquê complicar o que é simples:

“anti-burgueses porque desprezarão a vida cómoda”
Eu ambiciono uma vida cómoda e penso que todos aqui também. Nós vivemos numa sociedade cómoda de mais, mas é parte dessa comodidade que a torna tão atractiva, tão superior. Porque eu não tenho que me matar a trabalhar no campo como faziam os meus avós!

“anti-burgueses porque terão uma concepção superior da vida, heróica e aristocrática”
Sim, e poque não podemos ter essa concepção com dinheiro do bolso, com negócios. Se os burgueses fossem todos assim…

“anti-burgueses porque não seguirão os que prometem vantagens materiais”
Mais depressa sigo quem me dá vantagens materiais do que quem nada me dará. Vós também! Não sejais tímidos e admití que querem “vantagens materiais”. Não querereis concerteza fazer votos de pobreza, pois não? Quereis sim, ver uma sociedade com “vantagens materiais” e com um bom senso de valores. Queremos ser ricos, não pobres! Viva aos bens materiais! Três vezes viva aos valores morais!

“ati-burgueses (…) mas porque desejarão uma união essencial entre a vida e o risco”
Eu cá prezo muito a segurança e só arrisco a minha pele por uma causa Maior e só me deixo morrer por uma causa Superior!

“Tais contestatários preferirão sempre o alpinismo ao esqui, o sol à lua, a ascensão à descida, a pro­va ao exame universitário.”
Pois tomai conhecimento que eu perfiro a Lua ao Sol, de tão vulgarizado que o Sol está. E também devido á inerente femeninidade e sensualidade da Lua contraposta á masculinidade, ao poder bruto e autoritário do Sol.

Não gostei deste post porque me faz lembrar aquilo que mais me repugna no Comunismo: A luta de classes. Qual o beneficio em arrastar um povo para uma guerra entre sí, só porque um irmão tem mais que outro? Isso repugna-me! Para mim é o cúmulo do egoísmo.
Para mim esses Homens Novos não passam de velhos Comunistas, lá está o porquê de eu não gostar de Filósofos.
Nós deveriamos clamar pela união Nacional(ista) e não pela luta de classes.

Comentar por Camões

Este subscrevo.
O comentário, respondi em baixo, era para um tal Camões.
Percebeste mal.
Abraço e boa tarde.

Comentar por OPintas/Bernardo Kolbl

Um bom texto.
(Começo a pensar que este blogue de Direita Revolucionária tem muito pouco, sem ofensa, naturalmente).
Cumprimentos.

Comentar por Nero

Amigo Arqueofuturista:
Te agradezco la referencia de éste escritor, que no conocía (me imagino que en el ámbito de la nouvelle droite). A Evola lo conozco desde hace relativamente poco tiempo, pero me parece muy interesante su concepto vital (más fácil leer los comentarios a su obra que su obra).
Me gustaría puntualizar algo a lo que dice Camoes:
Una cosa es una vida cómoda y otra cosa es apoltronada. Todos ambicionamos el bienestar, pero algunos no a cualquier precio. Muchos podemois sentir que tenemos algo que hacer, un destino propio, y nos sería más incómodo cambiarlo por el sofá que asumirlo.
Por ello, el rechazo a la “vida cómoda” no se refiere al masoquismo, si no a la realización de cada uno, en la mejor versión de uno mismo, la maás acabada que cada uno puede hacer.
Por supuesto que queremos ventajas materiales, pero ¿que valoras más, lo que obtienes tras un esfuerzo o lo que te dan sin él?
En resumen, se trata de ponerte en el lugar de la parábola de los talentos, y decirle al Padre Eterno en el juicio: “para la mierda de talentos que me dejaste, mira todo lo que obtuve!!”
Y yo creo que ese es el sentido aristocrático, sacar lo mejor de tí y valorar (e imitar ) a aquellos que son personalidades superiores, y eso no es comunismo, que mas bien le gusta igualar por abajo y que nadie destaque.
Saludos

Comentar por pepin

Camões, faço minha a inteligente resposta concedida por Pepin e acrescento que este pequeno trecho nada tem de comunista nem apela à luta de classes, em sentido contrário as suas palavras aspiram à elevação do Homem, à excelência, a qual é acima de tudo interior ou espiritual se desejar.

Bernardo, parece que quando não se aborda Isarel, sionismo, judeus, islão, palestinianos, você concorda comigo. Talvez seja porque ainda não se apercebeu que esses temas são secundários e que o essencial está em centrarmos atenção e esforços na nossa própria casa para com o nosso próprio povo.

Nero, não sei se devo ficar contente ou entristecido pela sua observação, porque se este blog nunca se assumiu como sendo de Direita, mesmo que revolucionária, não sei em que categoria o Nero quer inclui-lo. Para alguns é de esquerda, pois é futurista, para outros é de direita, no sentido em que é um blog enraizado, tradicionalista. Na verdade o blog é Arqueofuturista, está para além de etiquetas redutoras, mas as pessoas teimam em atribuir rótulos vá se lá saber porquê. Enfim, é um direito que lhes/vos assiste, embora eu não seja compelido a concordar.

Pepin, Gondinet (desconheço se ainda é vivo) é um pensador tradicionalista e incontornavelmente um especialista m Evola. Gondinet colaborou na publicação Défense de l’Occident de Maurice Bardèche e participou em inúmeros projectos editoriais.

Refira-se que Gondinet é o autor de uma ideia muito interessante e que ganhou adeptos, entre os quais eu próprio, após uma conferência em 1976 intitulada “Europa, a pátria ideal“. Nessa conferência Gondinet apresentou uma teoria denominada das “três Pátrias“, ou seja, hierarquicamente na base estão as pátrias carnais, seguidas pelas pátrias históricas, culminando com a pátria ideal, isto é, a Europa.

Comentar por arqueofuturista

“Una cosa es una vida cómoda y otra cosa es apoltronada. Todos ambicionamos el bienestar, pero algunos no a cualquier precio.
Sim, concordo e acho que eu sou um desses “algunos”.

Eu quero só dizer, tanto ao Pepin como ao Arqueofuturista, para não se deixarem caír tanto para a utopia, porque a minha utopia é que um dia “estes e outros Nacionalistas” se juntem e consigam fazer algo prático em prol da Nação.

Comentar por Camões

Errado. Não conheço o Flávio de nada nenhum, a não ser do blogue.
Não se precipite. Isto é virtual.

Comentar por OPintas/Bernardo Kolbl

EstimadoCamoes:
Vale, ¿por dónde comenzamos, aparte de cada uno en su´ámbito?

Comentar por Pepin

… os homens novos…

—» Isto cheira-me a CONVERSA DA TRETA para otário ouvir/ler.

NOTA 1:
-> Existem ‘Nacionalistas de Referência’ [agentes infiltrados…] que vão produzindo ‘toneladas’ de CONVERSA DA TRETA – para que os OTÁRIOS (já há várias Décadas) se mantenham entretidos numa guerra contra ‘Moinhos de Vento’ – … enquanto… a Identidade Étnica Europeia vai se degradando cada vez mais ano após ano… na direcção de um beco-sem-saída/abismo…

NOTA 2:
-> Só os OTÁRIOS é que acreditam que os ‘descendentes de Obikuelus’… irão preservar/seguir a linha de pensamento dos ‘descendentes de Aljubarrota’ (e afins, por essa Europa fora…).
{ nota: para os ‘descendentes de Obikuelus’ (e afins, por essa Europa fora…) conquistar uma nacionalidade… é… uma formalidade burocrática… no entanto, serão os ‘descendentes de Obikuelus’ (e afins…) que irão realizar a RENOVAÇÃO DEMOGRÁFICA }

NOTA 3:
-> Quando dominarem demograficamente a situação… poderá vir a acontecer um novo Tratado de Tordesilhas: os Predadores Insaciáveis… poderão acordar, entre si, a divisão/partilha da Europa!
{ nota: existem Predadores Insaciáveis que estão numa ‘CORRIDA DEMOGRÁFICA’ pelo controlo da Europa!… [Exemplos: Os Africanos, os Mestiços, os Árabes,… —>>> nota importante: existem excepções à regra -> pessoas de Boa Vontade…] }

Comentar por pvnam

Ia dizer qualquer coisa mas o que o o Dono do Tasco escreveu…é suficiente:
…”Talvez seja porque ainda não se apercebeu que esses temas são secundários e que o essencial está em centrarmos atenção e esforços na nossa própria casa para com o nosso próprio povo.”

E assim talvez mais gente possa entender de que lado estamos

Abraço

Comentar por Legionário

Não duvidei nem por um instante que o Legionário é um dos que percebe integralmente aquilo que procuro transmitir quando emprego o adjectivo essencial.

Valente abraço.

Comentar por arqueofuturista




Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s



%d bloggers like this: