Frente a um inimigo comum; unidade!
Julho 17, 2007, 2:30 pm
Filed under: Em foco, Europa, Resistência & Reconquista

        

Fez bem o Caturo recordar o aniversário da Batalha de Navas de Tolosa que teve lugar precisamente há 795 anos e na qual D. Afonso II, o Gordo, coligado com os reinos de Castela, Navarra e Aragão derrotaram o Califa al-Nasir, disferindo dessa forma um severo abalo na hegemonia muçulmana na Península Ibérica. 

Contudo, fez-me lembrar que esta batalha não foi a única em que povos europeus se uniram para combater o inimigo comum. Ora vejamos sucintamente algumas dessas batalhas:

Batalha dos campos Cataláunicos (século V, Ano de 451): Coligação Galo-Romana, de Romanos, de Celtas, de Gauleses frente ao exército bárbaro dos Hunos sob o comando de Átila.

                

Batalha de Poitiers (século VIII, Ano de 732): Em 711 as hordas islâmicas ocupam a Península Ibérica com a ajuda de traidores Visigodos. Seguidamente, em 732, os muçulmanos atacam a cidade de Poitiers, o que gera uma consciêncialização dos Francos e dos Europeus, coligação Franco-Europeia sob as ordens de Charles Martel e consequente travão do expansionismo Muçulmano.
 

Batalha de Lepanto (século XVI, ano de 1571): Uma esquadra das marinhas da República de Veneza, Reino de Espanha, Cavaleiros de Malta e dos Estados Papais, sob o comando de João da Áustria, enfrentou uma poderosa armada turca, que foi totalmente destruida, pondo fim à ameaça marítima turca para a Europa.
 

Batalha de Kahlenberg (século XVII, ano de 1683): Uma coligação entre os Habsburgos, a República das Duas Nações, a Saxónia, a Baviera e outros aliados derrota os Otomanos que se encontravam às portas de Viena, impondo um ponto final no expansionismo turco na Europa. 

Século XXI?


24 comentários so far
Deixe um comentário

—» A Civilização Europeia realizou alguns ‘feitos’… é verdade!
—» Mas a verdade ‘nua e crua’ é esta: a Civilização Europeia possui os pés-de-barro! De facto, os europeus NUNCA provaram serem capazes de constituir uma sociedade sustentável (ou seja, uma sociedade dotada da capacidade de renovação demográfica) sem ser à custa da repressão dos Direitos das Mulheres (nota: mulheres tratadas como úteros ambulantes)!
—» Pior: os europeus (a MAIORIA) viraram uns Palhaços-Éticos no planeta: querem andar a curtir abundância de mão-de-obra servil imigrante, e querem andar a curtir a existência de alguém que pague as pensões de reforma… apesar de… nem sequer constituírem uma sociedade aonde se procede à renovação demográfica!!!

Nota 1: Com o fim da repressão dos Direitos das Mulheres… a capacidade de renovação demográfica sumiu-se… e a Civilização Europeia começou a desmoronar-se como um castelo de cartas…

Nota 2: Muitos europeus adoptaram uma nova ocupação: ‘caçar’ fêmeas fragilizadas economicamente… oriundas de sociedades mais pobres…

Comentar por pvnamm

Ó palhaço, já te disse para apresentares as tuas ideias de maneira diferente! Assim considerar-te-ão sempre e apenas isso, um palhaço.
Começo a gostar deste blog! Bom Artigo, podia era ser aprofundado.

Comentar por Camões

Deixe lá Camões, o pvnamm tem um universo muito próprio, muito dele, tão dele, tão dele, que ele escreve para… ele. É inofensivo.

Comentar por arqueofuturista

—» Contra factos não há argumentos, o tempo irá fazer uma ‘limpeza’ no planeta: as Civilizações/Povos com pés-de-barro irão desaparecer do planeta… nomeadamente… aqueles que são INCAPAZES de construir uma sociedade sustentável (ou seja, uma sociedade dotada da capacidade de renovação demográfica) sem ser à custa da repressão dos Direitos das Mulheres (nota: mulheres tratadas como úteros ambulantes).

Comentar por pvnamm

É sempre motivador recordar estes magníficos feitos dos nossos antepassados e dos nossos irmãos europeus, como forma de prepararmos o futuro e percebermos de uma vez por todas que ” juntos seremos invencivéis, separados somos um grão de areia no deserto”.

Comentar por Rui Paulino

Estimado amigo Rui, não referi que a Reconquista Ibérica se deve em grande parte ao auxílio de guerreiros e cruzados vindos de todos os cantos da Europa por ser demais consabido. Basta mencionar a conquista de Lisboa em 1147, a qual não teria sido realizada se não fosse a preciosa ajuda de cruzados ingleses.

Comentar por arqueofuturista

Bem lembrados, esses casos, caro Arqueofuturista. Seria conveniente que nos lembrássemos destas datas ao longo do ano para comemorar pelo menos as mais importantes de entre elas…

Comentar por Caturo

Sem dúvida é uma ideia a ter em boa conta, não só pelo simbolismo contido nessas datas, mas igualmente como forma de estabelecermos datas marcantes fora dos feriados e celebrações ditas oficiais.

Comentar por arqueofuturista

Estava eu a fazer um zapping pelos canais de música quando passo pelo VH1 e para meu espanto, estava a passar uma música que ganha hoje cada vez mais significado, tendo-se tornado para mim um hino, apenas pelo nome da banda e o seu refrão:

EUROPE
The Final Countdown

Reflictam acerca disso…

Comentar por Camões

É curioso este comentário porque também revi ontem esse vídeo clip dos Europe, uma banda da minha adolescência e que muito me fez vibrar com esse hino intitulado The final Countdown.

Bem observado Camões, esta canção é de uma actualidade atroz, um grito de alerta protagonizado por um grupo, por coincidência, com um nome emblemático. Não duvide que estamos, nós europeus, em contagem decrescente.

Comentar por arqueofuturista

Rui Paulino: «juntos seremos invencivéis»
—» Mais uma afirmação perfeitamente lunática (vulgo querer construir uma casa começando pelo telhado).
—» Como é que alguém INCAPAZ de construir uma sociedade sustentável (ou seja, uma sociedade dotada da capacidade de renovação demográfica) pode aspirar a ser invencível?!?!?!?!?!

arqueofuturista: «Não duvide que estamos, nós europeus, em contagem decrescente»
—» Vá lá, alguém resolveu fazer uma afirmação realista.

Comentar por pvnamm

E que tal acrescentar o saque de Constantinopla?
Em que os valorosos guerreiros europeus se uniram para saquear uma cidade na altura cristã, massacrar a sua população e destruir as suas casas só porque Jerusalem já estava longe?
Esse saque que enfraqueceu a cidade o suficiente para ser mais tarde conquistada pelos Turcos.
Pois, a grande unidade europeia…

Comentar por Saúl Pereira

Não vejo em que medida o argumento do Saúl contribui para o enriquecer ou até para o empobrecimento deste tópico. Se o objectivo é criticar a unidade europeia com base num infeliz episódio histórico, cai imediatamente por terra pelo facto de que não é necessário estar militarmente coligado para cometer erros ou crimes, não havendo povo no globo que disso esteja imaculado.

Portanto, encontre melhor argumentação e volte a escrever então.

Comentar por arqueofuturista

excelente tópico, nota-se que és um artista

Comentar por Anónimo

Saudosos tempos em que a Europa estava unificada pelo Cristianismo.

Comentar por Lusa

Como dijo el gran Vicente Espinel: no puedo dejar de sentir el daño de la sangre bautizada

Comentar por espa񯬢 tabindex=

Como dijo el gran Vicente Espinel: en Argel(Barbara nación) los moros ni guardan fe ni palabra, ni agradecen lo hecho……..

Comentar por espa񯬢 tabindex=

Penso que está um comentário no meu blogue com o seu nome não sendo você.

Comentar por nero

Grato pela preocupação, mas efectivamente fui eu quem elogiou o seu trabalho.

Comentar por arqueofuturista

Então é curioso que não dê acesso ao profile com o blogue.
Assunto esclarecido.

Comentar por nero

Talvez por serem servidores distintos, o seu é Blogger e o meu WordPress.

Comentar por arqueofuturista

O Flávio. Curioso. Aprende-se muito na net.
Abraço.

Comentar por OPintas/Bernardo Kolbl

Bem,

pelas grandes e valorosas batalhas encetadas pelos Cristãos na sua sede de sangue rumo à reconquista do sul, nessas batalhas profusas de vanglória a orgulho cristão que os caros querem aqui sublimar como novas datas a mencionar em celebridades festivas, nessas batalhas sangrentas dos três Afonsos, que arrasaram o sul do nosso Portugal; se os caros querem celebrar aqui as batalhas sangrentas, quem serão então os verdadeiros patrocinadores do terror?

Cumprimentos

Comentar por João Filipe Ferreira

É não sem grande preocupação que afirmo que o João Ferreira deixa perceber que possui uma mente sobejamente distoricda. Qual revisionista histórico, consegue montar a história ao seu bel prazer, arguindo que os três Afonsos arrasaram o sul do nosso Portugal! Atenção que nem os Gato fedorento conseguiriam lembrar-se de anedota tão desprovida de piada.

Já percebemos que o JFF além de advogar a desvirilização do homem europeu e enaltecer as qualidades psicossomáticas dos outros povos, perfilha uma adulação, agora em absoluto estranha, pelos invasores árabes/islâmicos da Península Ibérica. Deixe-me advinhar, é frequentador do fórum da Comunidade Islâmica da Web? Foi aluno de Claudio Torres? Vota BE? Caso esteja equivocado, então aconselho-o a inscrever-se nesse fórum, a ler Claudio Torres, e a votar no BE, porque aí garantidamente terão paciência para ouvi-lo e até concordarão consigo nos disparates e aberrações que por aqui, de mansinho, anda a divulgar.

Comentar por arqueofuturista




Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s



%d bloggers like this: