Diz-me o que lês…
Julho 9, 2007, 3:43 pm
Filed under: Em foco

Face ao desafio lançado por um companheiro das lides blogosféricas, o famigerado Nonas, para que eu torne público o meu único vício, o qual, assumo, me tornou num consumista compulsivo, entenda-se o acto de comprar livros sem por vezes os ler (já vai longa a lista dos que aguardam uma leitura condigna), eis que aqui deixo os títulos das últimas cinco obras lidas, mesmo correndo o risco de me traçarem algum perfil ideológico através dos títulos abaixo mencionados: 

    Elogio da Heterossexualidade” de Guy Baret, Editorial Teorema 

    A arte de ser português” de Teixeira de Pascoaes, Delraux (edição facsimilada)

     “Eurofascismo, de los inicios a la derrota de 1945” de Erik Norling, ENR

     “António Sardinha, um intelectual no século” de Ana I.S. Desvignes, Imprensa de Ciências Sociais 

     “La convergence des catastrophes” de Guillaume Corvus, DIE  

Se por aqui passarem Miguel Vaz, Pedro Guedes, Humberto Nuno de Oliveira, Legionário e Caturo, lanço-lhes o mesmo desafio de revelarem as suas derradeiras leituras.


13 comentários so far
Deixe um comentário

Está respondido, meu caro!

Comentar por pedro guedes

A arte de ser Portugues: uma leitura obrigatoria para a dfinicao da nossa Identidade. E tambem uma desmistificacao de muitos lugares-comuns em muitas correntes do chamado “nacionalismo” portugues.

Abraco

Comentar por Miazuria

Caro Pedro Guedes, já lá vou “dar um salto” para “espreitar” essa leitura subversiva.

É verdade, Amigo Miazuria, Teixeira de Pascoaes merece ser recuperado, lido, de forma não preconceituosa, e relido.

Comentar por arqueofuturista

Estimado Arqueofuturista, me siento extremadamente dolido por excluirme del “circulo de lectores”(espero que no sea por mi condición de súbdito de la corona española). No obstante me atrevo a hacer alguna sugerencia, aunque posiblemente ya sean de vosotros conocidas:
– Derrota Mundial (S. Borrego)
– El retorno de los cesares (Otero Novas)
– Imperium (Parker Yoker)
-Las 33 estrategias de la guerra (R. Greene)
– El descredito de la realidad (j. Bochaca)
– La manipulacion de la mente (j. Bochaca)
Si ya los habeis leido, tendría sumo placer en conocer vuestra opinion
Saludos
Pepin
P.D: Eurofascismos de Nordling es muy interesante. Una visión refrescante de lo que en realidad fueron los socialismos nacionales en Europa.

Comentar por Pepin

Ora bem: São raros os livros, salvo romances, que levo de empreitada até ao fim, dito isto aqui vão alguns dos últimos que me passaram pelos olhos:
-De Lucien Rebatet -Memórias de um Fascista (este li-o de empreitada – duas, três noites)
-Os soldados judeus de Hitler, (este fui lendo as 400 e tal páginas aos saltos).
-Misiones Secretas de Otto Skorzeny
-El Misterio Hiperbóreo, uma recolha em livro de vários textos escritos pelo Mestre Julius Evola de 1934 a 1970) Ediciones Nueva República
– E por ultimo essa obra maldita do incendiário César Augusto Dragão – À Queima Roupa – que releio também à queima roupa – Onde abro o livro assim disparo!

Comentar por Legionário

Prezado Pepin, a sua não-inclusão nesta lista, tal como a de outros ilustres amigos que regularmente manifestam as suas sempre bem-vindas opiniões neste espaço, deveu-se apenas ao facto de estar limitado a escolher cinco nomes. O critério pelo qual optei limitou-se à escolha de cinco “bloguistas”, nada mais do que isso.

Todavia, regozijo-me pela sua iniciativa em publicar as suas leituras, as quais me merecem alguns comentários: tenho poucos textos de Bochaca, ao contrário do meu amigo, que demonstra ser um leitor assíduo deste autor.

Imperium de Francis parker Yockey, o norte-americano mais europeu de sempre, está presente na minha biblioteca, mas confesso que se encontra ainda na lista de obras a ler.

El retorno de los cesares (Otero Novas), livro e autor para mim desconhecidos e que prometo inquiir sobre os mesmos.

Eurofascismo é sem dúvida um livro muito interessante e que demonstra claramente como os nacionalismos na II Guerra Mundial deram lugar a um supra nacionalismo, isto é, a um europeísmo conscinete e consequente. Aguardemos pelo segundo volume.

Um grande abraço para si.

Comentar por arqueofuturista

Caro Legionário, das obras que menciona apenas possuo e li Memórias de um Fascista de Rebatet, livro que também li num ápice pela dinâmica imprimida pelo autor. Inesquecível a passagem em que Rebatet encontra um SS francês acabo de chegar da frente leste… Dias loucos aqueles.

Os soldados judeus de Hitler, é curioso, não o encontro em nehuma livraria…

Despertou-me a curiosidade sobre esse livro intitulado À Queima Roupa. Terei de me informar sobre o mesmo.

Um valente abraço.

Comentar por arqueofuturista

Eu estou a ler as obras completas do José Vilhena.
Isto sim, é uma leitura obrigatória para definir a nossa identidade.
Um protento.

Comentar por Arqueopassadista

À Queima Roupa – é o livro do blog do dragão…

Comentar por Legionário

Estimado Arqueofuturista:
Sardinha es un escritor desconocido en España, si bien alguna referencia tengo de él a traves del libro “Thule,la cultura de la otra Europa” (que te sugiero encarecidamente bajes de internet) así como de A.Pimenta.
Permiteme sugerirte que avances Imperium en tu “lista de espera” pues te va a sorprender muy agradablemente. Así mismo, cuando acabes Eurofascismos, una lectura complementaria pero muy interesante es “socialismo nacional vs socialismo internacional” de Santoro; es una exposición interesantísima de los programas y logros de la alemania nacional socialista. (no apto para políticamente correctos)
En cuanto a Bochaca, he de comentarte que me abrió la mente a muchas cosas de la historia del siglo xx que no veía con claridad. Muy recomendable “la historia de los vencidos” (es un resumen de la historia del s.xx)
Y no te doy más lalata, que parezco una rata de biblioteca
Saludos
Pepin

Comentar por Pepin

Respondido, caro amigo!

Comentar por Humberto Nuno de Oliveira

Obrigado Caro Legionário pela informação.

Estimado Pepin, não parece absolutamente nunhum rato de biblioteca, pelo contrário demonstra ser uma pessoa culta. Conheço a obra “Thule, la cultura de la otra Europa”, aliás, tenho-a precisamente em formato electrónico, e constitui de facto um trabalho notável (uma espécie de Metapedia quando ainda não existia internet).

Prezado HNO, como regularmente já lá havia passado.

Abraço aos três.

Comentar por arqueofuturista

Curioso, curioso…
Abraço.

Comentar por PR




Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s



%d bloggers like this: