Charia em França
Janeiro 7, 2007, 11:35 am
Filed under: Em foco

A “democracia” francesa tem destas coisas. Menos de uma semana após o Tribunal Administrativo de Paris ter decidido não ser possível criminalizar a distribuição de sopas de porco organizada pela Associação Solidariedade Dos Franceses, num volte face surpreendente, ou talvez não, o Conselho de Estado, num puro acto de dimitude abjecta, decidiu anular a decisão do mencionado tribunal, concluindo pela interdição em todo o território francês da distribuição de sopas de porco, na medida em que «esta prática constitui um problema para a ordem pública e tem um carácter discriminatório».

Como é sabido o porco é considerado um animal impuro segundo as imposições religiosas do islamismo e do judaísmo. Os franceses, esse povo impuro, há séculos que consome o presunto, as salsichas de porco, o assado de porco, e, claro está, a sopa de porco, conquanto representam hábitos enraizados da culinária e gastronomia francesa e que nunca provocaram qualquer indigestão a alguém.

Contudo, os “sábios” do Conselho de Estado consideram que distribuir a sopa de porco, uma sopa popular, típica das gentes do campo, dos franceses e dos europeus, àqueles que, sem tecto, passam frio e fome, e que não são muçulmanos ou judeus (?), é um acto discriminatório, racista para falar claro! Em breve os franceses, e por extensão os europeus, apenas poderão comer produtos alimentares que contenham o selo halal ou kosher, que não constituam uma ofensa a Alá ou a Yahvé.