Palavras com 50 anos
Janeiro 3, 2007, 11:06 pm
Filed under: Em foco

“O grande fenómeno da nossa época é a violência do avanço islâmico subestimada pela maior parte dos nossos contemporâneos, esta subida do Islão é analogicamente comparável à dos começos do comunismo no tempo de Lenine. As consequências deste fenómeno são imprevisíveis. Além de que, hoje em dia no mundo ocidental, não estamos minimamente preparados para enfrentar o problema do Islão. Os dados actuais do problema levam-nos a acreditar que, de formas variadas, a ditadura muçulmana vai-se estabelecer sucessivamente através do mundo árabe. A situação é preocupante, devemos tentar perceber melhor o que se está verdadeiramente a passar, mas não à custa de qualquer concessão quanto aos valores fundamentais que nos regem e que são constitutivos da vida das sociedades ocidentais. Quanto àqueles que querem estar bem com Deus e o Diabo, ‘eu os vomitarei’, como vem dito no Evangelho.” 

1956, André Malraux


6 comentários so far
Deixe um comentário

O quê!!?, então mas afinal o fundamentalismo islâmico não é culpa de Israel, da América e do ataque ao Iraque???!!!!!!

;)

Comentar por Caturo

Pois é caro amigo, assim parece. O islamismo nunca deixou de ser fundamentalista porque essa é a sua matriz. Basta recordar que o profeta proclamou a difusão da fé pela espada. O que foi variando no curso da sua evolução foi exactamente a sua dinâmica, sendo que a vontade de conquista, a estratégia expansionista, o sentimento de vingança em relação à Europa, tudo isto esteve sempre latente. Dizer que o extremismo islâmico é consequência da criação do Estado de Israel, ou mais rídiculo ainda da invasão do Iraque, carece de fundamentos. A título de exemplo, em 1917, em plena efervescência revolucionária na Rússia, realizou-se um congresso pan-islâmico, o qual espelhava um islamismo revanchista e que nãoaceitava ser mero espectador dos acontecimentos que se desenrolavam no teatro mundial.

Comentar por arqueofuturista

Outro exemplo é Muhammad Ahmed Al Mahdi (Al Mahdi é o messias, o redentor que surgirá no final dos tempos), líder de um movimento islâmico fundamentalista sudanês que lançou a jihad contra os ingleses… no século XIX! Como se vê, o fundamentalismo islâmico não é propriamente uma novidade.

Comentar por Vanguardista

Lo cierto, como muy acertadamente apunta Arqueofuturista, es que la expansión violenta es consustancial al Islam, estando su uso justificado e incluso recomendado!! De hecho, todas las culturas lindantes con el Islam tienen pirulas con ellos…en fin, cosas de pueblos semitas, porque el modus operandi de Juda con los goyim (o sea, los no judios) ya se sabe cual es… en suma, tal para cual!!

Comentar por Pepin

Grande novidade…

Comentar por Lisbonman

Não sendo isto uma novidade, poderia o Lisboaman obsequiar-nos com a sua tremenda sapiência redigindo comentários mais interessantes.

Comentar por arqueofuturista




Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s



%d bloggers like this: