O racismo anti-branco : mitos e preconceitos
Dezembro 26, 2006, 11:57 am
Filed under: Em foco, Europa

 

1. O mito do “berço de ouro “ 

O primeiro mito específico do racismo Anti-branco é o mito do “berço de ouro”. É a crença que ter nascido branco constitui uma vantagem inata em todos os domínios da vida, quer sejam privados ou profissionais. Devido à sua cor de pele, os brancos teriam o direito a todas as espécies de vantagens que lhes garantiriam uma existência fácil. Decorre, no espírito do racista que adere a esta crença, que uma pessoa de tipo europeu não poderá jamais comungar dos mesmos sentimentos nutridos por um ser humano que pertence a um outro grupo étnico. Este mito contém a sua própria negação: prova pela sua própria existência que os brancos podem ser vítimas de preconceitos racistas. O desemprego, a doença, a morte, a depressão, o luto, o racismo são dramas e dificuldades que os brancos sentem de maneira igualmente aguda e de modo igualmente frequente que os outros seres humanos. Ter nascido branco não é um seguro ou uma protecção contra as dificuldades da vida: a ampla maioria dos brancos não nascem ricos, bonitos e famosos. Declarar que ser branco, é gozar de um privilégio inato, é negar a plena humanidade aos que assim nasceram.  Continuar a ler