Guillaume Faye visto por um brasileiro
Dezembro 21, 2006, 11:51 pm
Filed under: Em foco

“Se fosse possível descrever com poucas palavras a figura poliédrica de Guillaume Faye eu diria que ela é uma mistura explosiva de Inácio de Loyola com Che Guevara: certamente a espécie mais exótica de orador que a Europa produziu nos últimos anos. Lúcido quando mergulha no êxtase retórico, extático quando desfia o mais rigoroso silogismo, Faye jamais perde a medida. Príncipe soberano no reino do Espírito, sua inteligência desconhece entraves: tudo penetra, tudo resolve, tudo desata, só para depois poder nos humilhar com seu olhar esmagador. Quem poderá vencer este helenista entusiasmado, este herderiano anacrónico, este berseker gaulês? Façamo-lhe, pois, um meneio profundo no salão grego onde ele nos recebe para que, acalmado o desejo de honra do mestre, possamos seguir nosso caminho. 

Guillaume Faye é helenista e vitalista, o que não quer dizer muita coisa lá no Brasil, mas que na Alemanha significaria algo entre Winckelmann e Ludwig Klages. Ignora as convenções hipócritas do reacionarismo comodista, despreza qualquer capitulação em face de seus adversários. (…) 

Retirado daqui.