A propósito das declarações do Papa Bento XVI
Setembro 23, 2006, 5:23 pm
Filed under: Em foco

Tenho o enorme prazer de publicar este artigo de um grande amigo e companheiro de luta e a pessoa mais qualificada que conheço para abordar assuntos de carácter religioso. Espero que este contributo seja o primeiro de muitos outros Miguel.

A controvérsia gerada em torno das declarações proferidas pelo Papa Bento XVI sobre o Islão (1) veio confirmar que o Islamismo permanece desafiador e agressivo face a todos aqueles que ousam questionar a sua intrinseca natureza.

Ora, sabe-se muito bem que o Islão, e muito mais o islamismo, sua construção ideológica, é uma religião absolutista, totalitária, expansionista e mundialista, não podendo separar o religioso do temporal e do profano, não reconhecendo a autonomia da pessoa perante a livre opção religiosa, não distinguindo a “teopolis” (cidade de Deus) da “polis”(cidade dos homens). O discurso de Bento XVI tem o mérito de abrir a ferida e promover corajosamente o necessário debate sobre os reais propósitos do Islamismo.Se as outras religiões monoteistas do Médio-Oriente, o Cristianismo com o iluminismo e a laicidade, o judaismo com o movimento da “Haskalah” e os seus seguidores “maskalim”, conseguiram, a muito custo, superar a tentação totalitária e reducionista, o Islão, pelo contrário, permaneceu e permanece imobilizado, salvo algumas excepções, num discurso teológico e filosófico dogmático, encerrado em si mesmo, naturalmente incapaz de ler e perceber a modernidade.

Continuar a ler